Calcard


Notícias

Crianças e finanças: Por que explicar o uso do cartão de crédito para os filhos

21/09/2018

Desde de muito cedo é importante que o assunto crianças e finanças seja parte da rotina e das conversas das famílias. Pai e mãe devem transmitir boas práticas quanto ao uso do dinheiro e também em relação ao uso do cartão de crédito. Isso será uma medida importante para o dia a dia da família, mas também para a formação da criança no futuro, sabendo que é preciso levar a sério tudo o que diz respeito a finanças. Ou seja, serão filhos mais conscientes, mesmo que ainda não “passem o cartão”, se mantém mais vigilantes quanto aos gastos da família.

Quando se trata de crianças e finanças, não é o caso de assustar nem de colocar medo. Mas sim de informar corretamente, no caso do cartão de crédito, o que é, para que serve e como e quando se deve usar. Mas precisa mesmo fazer isso? A resposta é sim e pode-se dizer que isso complementa o planejamento financeiro da família. Não faz mais sentido que tudo o que diz respeito às finanças fique restrito a apenas um membro da família. Todos deve participar, inclusive as crianças, para que o orçamento seja respeitado e os objetivos de curto, médio e longo prazo, alcançados.

Crianças e finança: Hora de desfazer mitos

Além de manter a criança ciente da realidade financeira da família, conversas sobre finanças podem ser importantes para desfazer mitos relacionados ao cartão de crédito. Um dos mais comuns é achar que cartão é dinheiro extra no orçamento, quando na verdade é uma concessão antecipada de crédito. Esta abordagem pode resolver um impasse que surge numa situação como a do exemplo a seguir:

O filho insiste para que os pais comprem um vídeo-game e diante da negativa, rebate: “Mas vocês podem pagar no cartão de crédito”, como se fosse um passe de mágica e acreditando que assim poderá ganhar o que deseja. Se souber que existe um limite, que não é dinheiro extra e que há uma data mais adequada para fazer a compra, pode ser que a insistência no pedido de compra nem se prolongue.

A conversa em casa poderá reforçar informações que os filhos recebem na escola sobre finanças. Os pais também podem recorrer a livros de especialistas, cartilhas e até assistir vídeos tutoriais sobre educação financeira com foco no tema crianças e finanças. Compartilhando tudo isso com o filho, quando ele estiver maior, chegando à adolescência, pode-se começar a pensar em dar um cartão de crédito adicional. É o que muitos pais fazem como medida de segurança (andam com menos dinheiro vivo) e para que o filho possa controlar melhor a mesada que recebe.

Neste caso, a lição sobre uso do cartão precisa ser ampliada porque agora o controle é de responsabilidade do filho. É ele quem deve acompanhar as movimentações para saber se tem ou não limite para uma nova compra. Quando completar 18 anos e estiver apto por lei a ter o próprio cartão e não um vinculado aos pais, muito provavelmente o filho será um usuário mais do que preparado para tirar o melhor proveito do cartão de crédito. Só por isso já valeria a pena os pais sentaram mais para conversar com os filhos sobre finanças e uso de cartão de crédito. Que tal experimentar e refletir sobre crianças e finanças?

A propósito, você conversar com seus filhos sobre finanças? Compartilhe sua experiência no Facebook da CALCARD. CLIQUE AQUI.

Veja também

Newsletter

Receba novidades da Calcard em seu email